quarta-feira, 8 de abril de 2009

Onde cair morto

A Clau do "É o seguinte... tá bem?!" - cujo link está ao lado - estava comentando sobre um papo do ex a respeito da compra de um jazigo.

Fui comentar o post dela e ia começando assim: Eu nem digo nada...
Mas considerando que tenho duas histórias a respeito para contar achei melhor dizer sim, e contar aqui.

História 01:
Minha mãe, do alto de seus 45 anos (na época) resolveu que compraria um "lugar para cair morta". Lá em casa todos fomos contra, mas ela insistia que era importante.
Foi visitar uns três cemitérios e decidiu pelo Jardim da Saudade II, um lugar muito agradável, em que não há mausoléus, nem aqueles tumulos grandes, cinzentos, cheios de mármores e granitos, e de limo, e de sujeira, etc. Há apenas pequenas placas em mármore com o nome do "morador" com sua data de nascimento e de partida e muitas flores, muitas vezes artificiais, porque nem todo mundo vai lá toda semana renovar as flores.

Um ano depois meu avô faleceu.
Minha mãe dizia:
- Tá vendo, se eu não tivesse comprado estaríamos correndo feito loucos agora!!!
Sim, ela estava certa. Foi mais tranquilo.

Não contente ainda, logo após o falecimento do meu avô, e do seu respectivo enterro obviamente, ela foi atrás de um plano funerário.
É moçada, ela paga (ou pagou, não sei qual é a periodicidade desse plano) um plano para que quando alguém morrer vc apenas indique quem morreu e onde está o corpo. A empresa se encarrega de tudo, do defunto, do caixão, das flores, das lembrancinhas (pode???) e até do lanchinho para servir durante o velório!
Se bobear eles arranjam até uns atores para chorar no velório.

A minha mãe? Tá com 56 anos, mas esbanja saúde e disposição de um jeito que é de fazer inveja às mulheres mais novas.

História 02:
Sr. "Fulano" é um tio do meu marido. Um senhor de seus 65 - 70 anos, não sei bem qual sua idade.
Num dia de finados fui levar a minha sogra ao cemitério para visitar o túmulo de umas três gerações (haja paciência para ir com ela ao cemitério, vejam que nora maravilhosa eu sou).
Enquanto ela colocava flores e fazia suas orações eu me distraí olhando os túmulos ao redor, as datas e nomes...
De repente levei um susto!
Vi a imagem do Sr. Fulano, tio do marido, no túmulo ao lado!!!
Gelei e fui olhar mais de perto, eu nem sabia que ele tinha morrido, e ele mora na frente da casa da minha sogra, como é que eu não vi?
Cheguei mais perto e constatei que havia o nome dele (sim era dele mesmo e não de um parente parecido), a data de nascimento e... faltava a data de falecimento!!!

Intrigada, cheguei em casa e questionei o marido...

- Ah... o tio "Fulano"??? Ele já preparou tudo, até a foto né? Só está faltando a data de falecimento... Ele disse que queria colocar a foto já para não colocarem uma foto que ele não gostasse. Foi lá, se produziu, foi até um estúdio fotográfico e mandou fazer a foto do jeito que ele queria!!!

Afffff! Cada doido nessa família!

4 comentários:

Re disse...

Adoro pessoas excêntricas!
ADORO!!!!! rsrsrsrs
Minha avó em 1985 ou 86, nos deu as jóias dela, para que quando ela morresse as netas já estariam "garantidas", pois ela não chegaria aos anos 90 vida, segundo ela. Hoje tem 97 anos, faz pilates 3 x por semana. E dança rock and roll quando vou visitá-la só pq está feliz em me ver...
Gosto de pessoas que encaram a morte de maneira mais inusitadas...
beijos
Re

Cláudia disse...

Ô, Anna, se você não leu meu post Pai de Meninas, do mês passado, vai lá dar uma olhada.
meu pai já deixou até a foto da lembrancinha tirada e a farda de gala prontinha pra ocasião.

Eu particularmente acho que minha morte não é um problema meu, uma vez que estarei morta. Cair morta todo mundo tem onde, e eu sinceramente prefiro gastar a grana de um possível planejamento em vida mesmo.
Quando eu morrer, pode tirar o que servir pra doar pra alguém e o resto, faz o que achar melhor, pronto...
Mas a historia do outro deixar tudo pronto, até a foto e só faltar a data de falecimento foi a melhor!
beijo

Paula Nigro disse...

Achei tua mãe muito sensata!
Ri muito com a história dois.
Beijos
da leitora da RePasseiDosTrinta.

ANNA disse...

Tem doido pra tudo mesmo!!!

Dizem que dá um trabalhão mesmo então... podendo facilitar...