terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Curtas

1º dia de aula
Minha sobrinha de 3 aninhos enfrentou ontem o seu primeiro dia de escola.
A mãe a vestiu com o uniforme azul novinho em folha, prendeu aquele cabelinho louríssimo fazendo "maria-chiquinha", colocou a mochilinha dela nas costas, olhou naqueles grandes olhos azuis e disse:
- Filha! A mamãe está tão feliz por você estar indo para a escola!!!
- É mãe?
- Sim, muuuuito feliz!
- Eu não!

Desespero pouco é bobagem
O trabalho aqui na construtora só aumenta, atendo telefonemas, respondo e-mails, faço outros telefonemas, monto orçamentos, acompanho obras e dirijo pela cidade com o celular preso entre o ombro e a orelha resolvendo problemas de clientes, funcionários e fornecedores. Ontem então foi um caos! Muito trabalho, muitos problemas e pouco tempo até para ir ao banheiro.
Fui para a casa já depois das oito da noite, tomei banho, fiz um sanduíche, ganhei massagem do marido e dormi... Dormi e sonhei...
Sonhei que estava no escritório e saía da minha sala para ir ao banheiro, porém, quando estava chegando perto do banheiro fiquei presa no meio de uma multidão que avançava da recepção para cima de mim. Eu tentava escapar de qualquer jeito, mas para onde eu virava tinha um cliente me pedindo orçamento, outro reclamando do preço, outro solicitando novas alterações, um mandando quebrar uma parede, outro querendo construir outra, um querendo escada de aço, outro de concreto, tinha o mestre de uma obra pedindo definições sobre os revestimentos, o mestre da outra obra querendo saber do forro de gesso e finalmente quando eu achei uma saída e já estava quase escapando de todos e chegando ao banheiro o auditor da ISO entrou na minha frente e eu acordei. Levantei da cama com dor de cabeça, cansada, com dor nas costas...
O marido acorda também e pergunta:
- Dormiu bem, amor?
- Dormi. Até sonhei.
- Que bom, se sonhou é porque minha massagem funcionou e você relaxou um pouco.
- É... Só que eu sonhei que a construtora havia sido invadida por clientes enlouquecidos.