sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Já está chegando a hora de ir... e de CELEBRAR!!!

Como estão dizendo por aí...
Já que todo mundo abandonou o barco eu tb vou nessa!
Estou tirando o time de campo, abandonando o barco, pendurando as chuteiras e colocando as barbas de molho por este ano.
(apesar de eu não ter um time, nem um barco, nada de chuteiras e muito menos barba)
Acho que não suportaria nem mais um dia de trabalho neste ano, estou tão esgotada, tão cansada que ando tendo enxaquecas, tonturas e até desmaios súbitos.
Mas agora eu parei!
Vou cuidar de mim um pouco que, afinal, eu mereço.

A partir de agora é só CELEBRAR!




Celebrar a VIDA
... a nossa vida,
... a vida da minha nova sobrinha (Maria Eduarda) que está vindo aí,
e principalmente...
O nascimento de Jesus (que é o verdadeiro sentido - mas muitas vezes esquecido - do Natal)!

FELIZ NATAL!
Que o Natal seja mais um momento em que as pessoas realmente acreditem que vale a pena viver um Ano Novo!



Por falar em ANO NOVO...
Quem separou o tempo em anos deveria receber o prêmio Nobel da paz! Um ano, ou doze meses, como quiserem, é o tempo exato para atingirmos o máximo nível de stress tolerável. No décimo segundo mês já estão todos enlouquecidos, a ponto de estourar com a correria dos mais de 335 dias que já se passaram, estamos todos cansados, preocupados, estressados. Nessa época nossas faces aparentam ter muito mais rugas do que o tempo se encarregou de produzi-las.

Nas festas de comemoração do Natal é possível observar o cansaço generalizado, mas à espera de uma força renovadora que sabemos que virá com a virada do ano.

Doze meses é o tempo certo para extinguirmos todas as nossas forças, mas é impressionante como ao final do décimo segundo mês já começa a brotar a esperança de que o próximo ano seja melhor, seja mais feliz, com mais trabalho, menos violência, com mais dinheiro, menos miséria, mais amores, menos desilusões.

A pessoa que inventou o reveillon também deveria receber um prêmio significativo. Nada mais revigorante que a virada de ano! Fogos de artifício, roupas novas e brancas, promessas para o ano vindouro, uvas, champagne, folha de louro, lentilha, semente de romã, pular sete ondas, usar calcinha nova, branca para a paz, amarela para o dinheiro, rosa para o amor, vermelha para a paixão, ou ainda amarrar fitas nessas cores para garantir paz, amor, dinheiro e paixão sem ter de usar quatro calcinhas.

São tantos os rituais que temos para garantir um bom ano...
Se funcionam???
Bom, mal não fazem, eu garanto! Então o que custa tentar, não? Melhor prevenir!


Até 2008!!!

Ah... Já ia esquecendo...
Um conselho para 2008:

DON'T WORRY...

...BE HAPPY!!!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Apenas uma constatação...

Antigamente eu tinha férias duas vezes por ano, era uma beleza.
Quer dizer, seria, se eu tivesse dinheiro e independência para viajar.
Hoje eu até posso bancar um "pacotinho" para um lugar legal...
O que me falta hoje são as férias!

Êêê... êô... vida de gado!!!

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Felicidades!

Lá vou eu falar de ex novamente...
Mas desta vez não vou fazer nenhuma crítica, juro que não!

Estava eu passeando pelos Orkut’s da vida quando me deparo com um velho e conhecido nome: “Fulano de Tal”

“Noooossa, quanto tempo não tinha notícias do Fulano!”

Ele foi um daqueles casos complicadérrimos, de idas e voltas, encontros e desencontros, amores e desamores. Mas foi um daqueles que a gente não quer machucar por nada neste mundo sabe? Mas que, por ter sido imatura, acabou machucando. Mas também foi daqueles que deram uma segunda chance, mas que nessa segunda chance, eu é que saí machucada. Também foi aquele que depois de muitos anos reencontrei por acaso e tive um novo affair, mas que por segurança ficou só num último encontro.

Não devia, mas como a curiosidade feminina é maior do que a força de vontade, lógico que eu acabei entrando no Orkut do moço (no bom sentido).

Ele está casado (essa parte eu já havia ouvido nas rodas de amigos por aí) e com uma filhinha linda de viver!

Puxa, fiquei tão feliz em ver a alegria nos olhos e no sorriso dele com a filha no colo!
Gostaria que ele soubesse o quanto eu fico feliz por ele, mas é claro que eu não sou tão inconveniente a ponto de deixar qualquer mensagem na página de recados dele no Orkut.

Para mim, basta saber que ele está bem e muito feliz, com um presente de Deus no colo.
Desejo que a filhota tenha muita saúde, que ele e a esposa possam dar todo o amor que houver nessa vida para aquele lindo bebê. E que eles sejam felizes para sempre!
E já que depois de amanhã é aniversário dele... não há momento mais oportuno para desejar tudo de bom e toda a felicidade do mundo!
(mas só aqui, neste espaço em que pessoas do convívio real não freqüentam, senão é capaz de acharem pêlo em ovo, e foi só um comentário de alguém que está feliz com sua própria vida e que ficou mais feliz ainda de saber que alguém especial está muito feliz também)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Ditados populares

Fui almoçar com uma amiga no shopping.
Ela precisava comprar um presente de Natal para a sogra, estava em pânico!
Assim,
Ela viu a sogra uma ou duas vezes na vida, pois ela mora longe, muito longe de Curitiba.

Abre parêntese:
Sabe aquele ditado né? Que sogra não pode morar tão perto da sua casa ao ponto de ela poder ir até lá de chinelos e nem tão longe ao ponto de ela ter que ir de mala e cuia!
Pois é, a dela quando vem... Vem de mala e cuia!
Fecha parêntese.

Então, a sogra vai vir para cá no Natal, aí depois do Natal eles vão todos para uma linda praia em Santa Catarina, passar 15 harmoniosos (eu espero) dias.

- Ai, Anna, eu estou querendo arranjar uma desculpa para não ir para a praia com eles.
- Por quê?
- Já pensou? 15 dias dentro da mesma casa com sogro, cunhada e sogra? A cunhada já não vai muito com a minha cara, e a sogra? Como vai ser?
- Amiga, você vai ter que conquistá-la.
- ???
- Porque você sabe aquele ditado né?
- Que ditado?
- Aquele... "Sogra. Ame-a ou deixe... o filho dela!"

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

E Deus criou Curitiba...



(imagens de Jean Servais Henri Colemonts)

Deus, numa segunda-feira, criou Curitiba...
Pelo menos assim pensam os curitibanos. Com parques, praças, muito topete e gente devagar no trânsito.
E achou monótona.

Então, na terça-feira, criou o inverno. Com sua brancura, cachecóis e um bom vinho, para os curitibanos se acharem europeus.
Mas achou o frio muito triste, e na quarta-feira criou a primavera, florida e colorida para enfeitar os parques e praças dos europeus, digo, curitibanos.
Mas Deus a achou bucólica demais e na quinta-feira criou o Verão, alegre e saudável para fazer os curitibanos sorrirem.
Mas o achou seco demais e na sexta-feira criou o outono. Farto e ameno para se confortarem.
Então Deus achou tudo muito distante, e no sábado misturou tudo. Fez o inverno, a primavera, o verão e o outono reinarem todos no mesmo dia em Curitiba, para que tudo tivesse seu tempo e sua vida.
E no domingo Deus descansou...

Na verdade caiu de cama, pois não sabia que tinha acabado de criar a Gripe, a Rinite, o Resfriado...

(texto recebido por e-mail - desconheço a fonte)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Na estrada

Então que amanhã, dia 08/12, meu único, amado e idolatrado irmãozão está partindo novamente para o Ushuaia... de motocicleta!
Novamente porque ele já iniciou esta mesma viajem em dezembro de 2003, mas devido a um acidente teve que voltar para casa, com o pé quebrado, antes de chegar lá no extremo sul do Chile.
Eu sabia que ele não ia deixar barato, que não iria desistir. E agora, com a sua pequena filhota com 3 aninhos, ele resolveu partir novamente, para cumprir o seu objetivo, volta em um mês. O maior impasse agora... a saudade da filha!
Mas ela vai encontrar o papai em Santiago no reveillón, ela e a mamãe.

Meu amado irmão (que não lê este blog porque eu não dou o endereço para ninguém)...
Vá com Deus meu querido, cuide-se, e curta cada segundo desta aventura! Que eu vou estar aqui, com o coração na mão, cheia de preocupação, morrendo de saudade, sem ver a hora de você voltar, mas muito muito feliz, porque sei que é disto que você gosta!

Para marcar a sua saída, aquela música que você sempre canta para mim (no violão ou no karaokê de tanto que eu insisto)...

Para fechar a sexta-feira...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

A noite "em claro"

Ontem, na novela das oito (oito e meia, nove, nove e meia...) foi um festival de mulheres falando que passaram a noite "em claro" com seus namorados, affairs, rolos, etc.
Primeiro foi a Super-Loura-Vieira com o José-Macieira-Wilker, depois a filha dela, aquela do olhão-bocão com o Adalberto/Marconi Ferraço, e depois teve uma empregada-aspirante-a-rainha-da-bateria (porque a Globo agora adotou como personagem obrigatório nas novelas das oito uma empregadinha que sonha em ser rainha da bateria do carnaval do Rio de Janeiro e que obviamente SERÁ rainha da bateria (na vida real) de alguma escola do Rio de Janeiro) que dizia que precisava de alguém que a fizesse passar a noite "em claro".
Foram tantas e num intervalo de tempo tão pequeno que até meu marido que "só estava passando" na frente da TV, virou-se para mim com um ar galante e conquistador e disse:
- E você, que tal passar a noite "em claro" também?
E eu que perco o marido mas não perco a piada...
- Oba!!! Nós vamos dormir com a luz acesa?

Moral da história:
O Ministério da Saúde Mental averte: Não tentem fazer isso em casa, os maridos podem se ofender profundamente!!!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Fragmentos da vida a dois

Todo sábado pela manhã o marido acha alguma coisa para fazer fora de casa.
Ou vai trabalhar, ou vai pescar, ou vai lavar o carro na casa dos pais, ou, ou, ou...
Tudo isso por quê?
Porque estamos sem uma pessoa para nos auxiliar na limpeza da casa, lógico. Aí ele inventa algo para fazer na rua e escapa de me ajudar na limpeza do nosso lar doce lar.
Aí, lá pelas 13h30, ele chega em casa para almoçar (e é lógico que eu não fiz comida, quem cozinha não limpa e quem limpa não cozinha, certo? Sábado é dia de aloçar no "por quilo" que fica a duas quadras do prédio)e para tudo que ele pergunta sempre tem uma resposta curta e quase grossa...

PS: Na verdade raramente eu estou de mau humor de verdade, só faço tipo para que ele não se iluda pensando que eu acho uma maravilha ficar limpando a casa num sábado lindo de sol enquanto ele foi pescar. Ah sim, mas é lógico que eu não prefiro ir pescar com ele, me poupe!

Aí ele sempre vem com aquele papo:
- Credo, que mau humor! O que aconteceu?
- Nada!
- Então por que esse azedume?
- Eu não estou de mau humor, querido, pelo contrário, eu A-DO-RO ficar em casa o sábado todo limpando, lavando, passando... Nossa, foi tudo que eu pedi à Deus!
- Ai, não pode ser tão ruim assim, eu não ligo de fazer isso, afinal é pra gente, pra nossa casa...
Em pensamento: "Então por que vc não fica em casa limpando, lavando, passando, enquanto eu vou passear?"

Então, na quinta-feira passada eu anunciei:
- Sábado pela manhã eu tenho salão marcado, ok?
- Ah tá, tudo bem.

E eis que sábado chegou.
Eu levantei às 8h00, me arrumei, tomei café da manhã e lá fui eu para o salão, mas antes de sair perguntei a ele:
- Vai sair?
- Não, vou ficar em casa... Por quê?
- Bom, você podia aproveitar que vai ficar em casa e dar uma "ajeitada" nela.
Ele me olhou com uma cara de quem diz "Não era bem essa a idéia", mas não disse nada.

Voltei do salão às 13h30. Sim, a cabelereira levou 5 horas para fazer uma hidratação e muitas mechas em todo o meu cabelo... Eu quase li um livro inteiro. Sim, eu levo um livro para o salão porque me recuso a ficar lendo as culturas inúteis (Caras, Contigo, Cláudia, Nova) que os salões oferecem para as clientes.

Voltei para casa e... milagre!!!
A casa estava limpa!!!
É... não estava lá essas coisas, a roupa que eu havia colocado para lavar antes de sair estava lá, centrifugada na máquina, praticamente seca já e passar roupa nem pensar né? Mas até que a casa estava limpinha e arrumada. Com o senso de organização que tem o meu marido acho até que ele fez um excelente trabalho.

Mas olha que coincidência, para cada pergunta ou comentário que eu fazia, eu ouvia uma resposta curta e grossa...

Acho que agora ele vai começar a ver com outros olhos a história de limpar a casa no final de semana...